Toda relação patológica é uma relação abusiva?

O assunto é mais complexo do que parece. Relações abusivas não são relações entre bandido e mocinha. Não são relações entre alguém que é 100% vítima e outro alguém que é 100% algoz. ISSO NÃO EXISTE EM RELACIONAMENTO NENHUM. A dinâmica de qualquer relacionamento é algo que se constrói juntos. Nenhuma relação é unilateral. Isso é um pressuposto básico para começar essa conversa. Pois bem. O que o Brasil assistiu recentemente no reality show da Rede Globo foi uma excelente ilustração de como se constrói uma relação patológica, que passa, rapidamente, a ser uma relação abusiva. Como pudemos ver, não se tratava de um bandido e uma mocinha. Não se tratava de um homem malvado e cruel e uma moça de

Não confunda ser forte com reprimir seus sentimentos

Imagine a seguinte situação: Você está em um jogo onde deve abrir uma porta e, atrás dessa porta, pode ter um prêmio muito alto em dinheiro, assim como pode ter um bicho do qual você tenha muito medo. Você vai ter que arriscar. Você pode escolher apenas não abrir a porta e ir embora. Mas, se abrir, terá que arriscar se deparar com algo de que você tem muito medo. O que você faria? O que você acha que uma pessoa forte e corajosa faria? É provável que você tenha respondido que uma pessoa forte e corajosa abriria a porta e correria o risco. Pode ser que ela se desse mal, mas ela tentaria. Ela não iria embora sem saber o que havia por trás daquela porta. Ela encararia a possibilidade de estar di

E se eu sugerir que você desista de vez da autoconfiança?

Arrisco dizer que a busca pela autoconfiança é o motivo que mais leva mulheres aos consultórios de Psicologia. “Queria ser mais segura”, “Meu sonho é ser mais autoconfiante”, “Meu grande problema na vida é a insegurança”. Quando investigamos a fundo o significado dessas frases, vemos que, no fim, o que se está buscando é uma única coisa: amor e admiração. As pessoas fantasiam que, se parecerem mais autoconfiantes, mais fortes e mais seguras, serão mais admiradas, logo, mais amadas. E o que é essa tal de autoconfiança? Ao pedir a algumas pacientes para imaginarem e darem exemplos do que significa esse conceito, pude constatar algumas coisas. Em primeiro lugar, essa característica é associada,

Sua vida amorosa tem sido guiada pelo medo?

Muito tem se falado sobre a superficialidade e a liquidez das relações nos dias atuais. Talvez isso se deva, em parte, a algumas mudanças inegáveis na forma das pessoas se relacionarem. Estamos na era dos aplicativos, em que temos acesso a verdadeiras prateleiras de seres humanos pela tela do celular. Não vou aqui entrar na qualificação disso como algo positivo ou negativo. Acho um tema complicado e ambivalente, pois ao mesmo tempo em que vemos uma coisificação das pessoas e banalização das relações nesses tempos de tinder, é possível também defender o lado positivo disso... Afinal, em tempos passados, em que as opções eram mais restritas, era muito mais comum que as relações fossem mantidas

Casar antes dos 30 pode ser uma forma de desperdiçar seus melhores anos

Antes de qualquer coisa, quero dizer que esse texto não pretende se aplicar a todas as mulheres e nem diminuir ou desconsiderar as escolhas ou vivências de nenhuma mulher. Sei bem das limitações do que vou dizer. Porém, dado que ainda temos uma cultura que incute fortemente na cabeça de meninas e mulheres que o objetivo principal da vida delas deve ser casar e ter filhos, acho importante expor as reflexões que irei escrever aqui. Já atendi meninas na faixa dos 25 que já estão desesperadamente preocupadas com seu futuro amoroso porque ainda não encontraram “o homem de suas vidas”, mulheres na faixa dos 30 sentindo-se velhas e contentando-se com relacionamentos que não as fazem felizes pelo me

O direito ao não perdão

Dizem que perdoar é divino. Que é libertador. Que guardar mágoa ou rancor é como tomar veneno desejando que o outro morra. Há psicanalistas que digam que o ressentimento vem do reconhecimento de que se permitiu que o outro nos fizesse algum mal, ou seja, o ressentimento vem, antes de tudo, de uma raiva de si. Eu diria que essa ideia de perdão tem se tornado uma obrigação. E não vejo isso como algo saudável. Os afetos humanos são ambivalentes, e essa ideia de que devemos nos responsabilizar por tudo de ruim que já nos aconteceu e perdoar a todos cai no risco de parecer que não temos direito à raiva. Mas eu digo: sim, nós temos direito à raiva. E a raiva pode ser muito saudável. E claro, somos

Faz sentido falar em mulheres sendo abusivas com homens?

Vamos começar essa conversa partindo de um pressuposto muito simples: Relações não acontecem em um vácuo. O que isso significa? Significa que qualquer relação acontece dentro de um contexto social e cultural, que é o pano de fundo em que a relação vai se desenvolver. Não é possível analisar qualquer relação sem se considerar o contexto de significados e valores onde ela se desenvolve. Pois bem. Sabemos que vivemos em um contexto onde existe uma hierarquia sexual e de gênero. Vamos entender isso melhor. A história da humanidade envolve muita violência e dominação. Dentre essas, uma das principais é a dominação das mulheres por homens, que solaparam as possibilidades de ser mulher, ditando uma

Por que as mulheres se acham feias?

Um dos pontos que mais chamam minha atenção no meu trabalho com mulheres é a frequência com que a insatisfação com a aparência surge como uma demanda, mais cedo ou mais tarde, durante o processo de psicoterapia. Algumas mulheres chegam com essa demanda já na primeira sessão: querem melhorar a autoestima, se sentem feias a ponto de ter sérias limitações na vida social (evitam sair de casa por vergonha de si mesmas). Em outros casos, essa questão demora a aparecer, mas quase sempre aparece e geralmente acompanhada da mesma ideia: “Eu seria mais feliz se fosse mais bonita”. É essa a ideia que a mídia vende, é essa a ideia que as mulheres compram. Um ponto importante de ser esclarecido sobre iss

Socialização feminina: dos contos de fada à realidade dos relacionamentos abusivos

Ao longo da minha vida, tenho acompanhado histórias de mulheres que vivem relacionamentos abusivos com homens, sem se darem conta disso. Vivem uma rotina em que são constantemente maltratadas, desprezadas e desrespeitadas; porém, é incrível como aprendem a relativizar a própria situação, fazendo de tudo para não admitirem para si mesmas que estão em um relacionamento abusivo. Sim, nunca é fácil admitir algo assim pra nós mesmas. Mulheres que estão nessa situação geralmente usam todo tipo de argumento para justificar os comportamentos do parceiro e aprendem a se contentar com migalhas: “Ah, mas pelo menos posso dizer que ele nunca me agrediu fisicamente”, “Bom, pelo menos ele trabalha, não be

Bruxaria, religiões e misoginia

É bastante antiga a relação entre instituições religiosas e a violência contra a mulher. As religiões, de uma forma geral, são bastante violentas com as mulheres. Eu não diria que as instituições religiosas inauguraram a ideia da inferioridade feminina, mas elas exercem um forte papel de reforçar essa ideia, até porque dispõem de um discurso extremamente poderoso. No discurso bíblico sobre como Deus criou o mundo, fica clara a ideia do sexo masculino como o representante da espécie humana. A hierarquia entre os sexos já começa aí. A mulher seria um ser secundário, feita à semelhança do homem, ao passo que o homem foi feito à semelhança de Deus. A história de como o pecado se instaurou na hum

Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Instagram Social Icon