Please reload

Posts Recentes

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Em Destaque

Faz sentido falar em mulheres sendo abusivas com homens?

May 18, 2017

 

 

Vamos começar essa conversa partindo de um pressuposto muito simples: Relações não acontecem em um vácuo.

 

 

O que isso significa? Significa que qualquer relação acontece dentro de um contexto social e cultural, que é o pano de fundo em que a relação vai se desenvolver. Não é possível analisar qualquer relação sem se considerar o contexto de significados e valores onde ela se desenvolve.

 

 

Pois bem. Sabemos que vivemos em um contexto onde existe uma hierarquia sexual e de gênero. Vamos entender isso melhor.

 

 

A história da humanidade envolve muita violência e dominação. Dentre essas, uma das principais é a dominação das mulheres por homens, que solaparam as possibilidades de ser mulher, ditando uma feminilidade que servia para rechaçar as mulheres para um lugar de inferioridade. O que entendemos por feminilidade atualmente não passa de uma construção masculina, ditada pelos homens detentores da filosofia e do saber médico, que construíram a mulher como um ser submisso, passivo e, ao mesmo tempo, que apresenta uma alta dose de periculosidade para os "pobres" homens, dada sua suposta sexualidade exacerbada.

 

 

Quando analisamos um relacionamento entre homem e mulher, é ingênuo não considerar esse contexto histórico, social e cultural. Uma relação, independente das pessoas envolvidas, irá necessariamente partir de um lugar onde o masculino é significado como superior e o feminino, como inferior. Esse dado por si só já torna complicado colocar mulheres na posição de abusadoras de homens em uma relação heterossexual.

 

 

Vamos pensar em uma questão prática: os ciúmes, por exemplo.

 

 

O ciúme é um sentimento que talvez possamos afirmar que todo ser humano já experimentou ao menos uma vez na vida. Às vezes ele é romantizado, entendido como sinônimo de amor. Outras vezes, é completamente desqualificado, colocado como sinônimo de insegurança, algo que ruim e negativo.

 

 

Mas o ciúme, devido ao contexto do qual estávamos falando, não se expressa da mesma forma em homens e mulheres. Geralmente, mulheres que são namoradas ou esposas muito ciumentas e desconfiadas sofrem com isso porque é como se colocassem o parceiro em um pedestal, em uma posição hierarquicamente superior a elas. Essa ideia é fortemente fomentada por uma cultura que incute na cabeça das mulheres que o relacionamento amoroso com um homem é o bem maior que elas podem conquistar. Como já comentei em outro texto, os meninos não crescem aprendendo a dar o mesmo valor à vida amorosa, o que cria um abismo na forma como homens e mulheres encaram seus relacionamentos. Em geral, essas mulheres sentem como se não fossem suficientemente boas para seus parceiros, e fantasiam a possibilidade de serem trocadas a qualquer momento por outra mulher que esteja mais à altura dos desejos dele. Essa fantasia pode gerar um nível insuportável de angústia, que se manifesta em comportamentos exagerados, tentativas de controle, interrogatórios, desconfianças. Não estou dizendo que isso não possa trazer um nível considerável de sofrimento também ao parceiro e prejuízos à relação, mas defendo a ideia de que não faz sentido dizer que essa mulher está sendo abusiva.

 

 

 

O ciúme masculino, por outro lado, geralmente se baseia em um entendimento de que a mulher é sua propriedade. Ao contrário dos ciúmes das mulheres, ele não se baseia na ideia de que a mulher está em um pedestal, porque definitivamente não é esse o lugar que ocupamos na hierarquia sexual. A construção histórica da mulher como propriedade masculina ressoa com muita força na dinâmica dos relacionamentos heterossexuais. E o homem que é muito ciumento e controlador torna-se facilmente um parceiro abusador porque tenta tomar conta de sua parceira como algo que lhe pertence. Enquanto os ciúmes das mulheres se manifestam em crises nas quais as outras mulheres são vistas como rivais, os ciúmes dos homens se manifestam através de tentativas de controle de coisas como a forma da parceira se comportar e se vestir, o quanto ela bebe, como se maqueia, etc.

 

 

Ou seja: homens e mulheres sentem ciúmes e inseguranças, mas esses sentimentos se manifestam de formas diferentes em cada um.

 

 

Uma mulher muito ciumenta e controladora pode dar crises de descontrole emocional, pode até mesmo usar da manipulação. Mas as atitudes violentas fundamentadas em ciúmes são muito mais comuns nos homens. Homens controladores e ciumentos oferecem muito mais riscos reais, como violência física, perseguição e até mesmo assassinato. A taxa de crimes masculinos motivados por essas questões é tão alta que precisamos criar leis específicas para isso.

 

 

Em geral, o nível de prejuízo emocional e físico que um homem pode causar a uma mulher é incomparavelmente maior do que o que uma mulher pode causar a um homem. É ingênuo desconsiderar o fato de que qualquer relacionamento heterossexual irá inevitavelmente partir de uma hierarquia na qual o homem ocupa uma posição de superioridade, o que confere a ele um privilégio que viabiliza comportamentos abusivos.

 

 

Por isso, pense muito bem antes de acusar uma mulher de estar sendo abusiva com seu parceiro, e até mesmo antes de achar que você mesma está sendo abusiva com seu namorado ou marido. Uma mulher que se denomina assim, em geral, precisa de ajuda para reconstruir sua autoestima, para questionar valores e significados associados a mulheres e homens, para resgatar aspectos de seu eu que estão feridos e maltratados. Ao contrário, um relacionamento em que o homem é abusivo envolve um jogo de poder perverso, que geralmente só tem fim quando a mulher decide, definitivamente, se libertar.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square